localizador vehicular gps tracker rastreador gsm gprs sms programa para espiar cualquier tipo de celular gratis here link here vendo celular espia free blackberry messenger spy app como espiar el whatsapp de alguien mas est espiar celulares 2013 i spy books for android programa espiar whatsapp spy descargar press site

Categoria:

novela

Esta é um Novela de autoria de Carlos Russo Jr., Registro na B.N. : 643.212, livro: 1.236, folha 483.

Sumário

Como preparar o leitor para o que o espera em 2039? Essa é uma novela de ação, de brutalidade, da maldade humana que atinge o seu ápice quando o poder conseguiu libertar-se de todas as amarras civilizatórias para oprimir, destruir e enriquecer.

A obra é um grito de alerta dado pelo escritor que viu, ouviu e viveu coisas demasiado grandes para ele mesmo, fortes demais, irrespiráveis, desceu ao poço profundo da miséria humana, comeu de sua própria desmedida, e disso tudo trás memórias que o esgotam. O autor que assume a criação já chega com o corpo ferido, a alma dilacerada, os olhos vermelhos das lágrimas vertidas, os tímpanos perfurados por tudo o que ouviu e que sabe que ainda tornará a ouvir.

Mas é necessário libertar a vida em toda parte em que ela esteja aprisionada pelo homem e no homem, pelos Sistemas que ele cria para encarcerá-la, impedi-la de alcançar a plenitude. É absurdo pensar que a Justiça e o Poder dos homens sejam uma inexaurível fonte do mal, destinada para o proveito de poucos a quebrar o corpo e a alma dos esmagados, destruí-los, transforma-os em objetos.

Um empreendimento de prevenção em saúde pública coloca o nosso escritor como um médico, curandeiro de si próprio, fragilizado pela vida que o mutilou, busca o remédio para si e assume as competências necessárias para tratar o próprio mundo e a vida. E para isso, ele inventa uma sociedade; um, dois, uma dezena e, de repente, milhares de homens com o espírito da revolta, num mundo tremendo que esmaga pelo lucro, pelo consumo e pela ostentação.

Esse é um mundo ficcional que é transportado para o futuro, mas cujos vírus estão sendo inoculado, preparado para um devir tremendo, sobre o qual o escritor delira. E é nesse delírio que ele cria a possibilidade de cura com seu enorme berro de alerta!

Que a ficção não seja profecia” está voltado à produção de anticorpos que destruam os vírus da intolerância, da maldade, do preconceito e da exclusão social. Vírus cujos tentáculos permeiam a vida e que no delírio do autor adquirem direitos exclusivos em quase todo o tecido social.

Continue lendo

Em: novela | Tags: